Paulo Hirano: Bronquiolite chegou a estrangular a Saúde de Campos

Paulo Hirano: Bronquiolite chegou a estrangular a Saúde de Campos
  • Publishedmaio 18, 2023

O secretário de Saúde de Campos, Paulo Hirano, afirmou em entrevista ao Manchete Podcast desta quinta-feira (18), que uma explosão de casos de bronquiolite chegou a estrangular toda a rede assistencial de saúde do município, pública e privada. Segundo Hirano (veja a íntegra da entrevista no fim do post), o número de casos ainda é alto devido à vulnerabilidade das crianças que ficaram isoladas no período mais severo da pandemia, mas também pela queda nos índices de imunização. Paulo Hirano contou que, de maneira emergencial, a Prefeitura abriu oito leitos de UTI pediátrica e também providenciou mais 18 leitos clínicos. Ele aproveitou para fazer um alerta aos pais e a toda a população sobre a necessidade da vacinação.

— Campos sempre foi um exemplo em imunização, a gente chegava a vacinar mais de 100% da meta. Hoje a gente está com 50% no geral. É um desleixo muito grande. E aí vem um recado pesado, que eu não deixo de dar: criancinha nenhuma vai para o posto de saúde se vacinar sozinha, é preciso que os pais a leve. É responsabilidade dos pais, dos responsáveis por essa criança, sob pena de ela não ser vacinada e ser acometida de uma doença grave, que pode ser fatal — disse Hirano.

100

O secretário de Saúde salientou que a explosão de casos de bronquiolite ocorre em um período em que há a circulação de outros vírus, como o da gripe e da Covid. Nos dois casos, lembra Hirano, há vacinas disponíveis para todos acima dos seis meses, mas a procura tem sido baixa.

No bate-papo, Hirano ainda comentou sobre recentes polêmicas envolvendo a Saúde Pública de Campos. Negou atraso no repasse para a Santa Casa, assim como afirmo que não houve negligencia médica em caso de óbito após atendimento na Clínica da Criança. E também destacou avanços, como a reabertura de UBSs, prometendo mais oito ainda este ano, e o início do programa SOS Coração. Paulo Hirano ainda pontuou que a Saúde é de “um gigantismo incalculável e de uma complexidade inimaginável”. E concluiu:

— Saúde para o governo Wladimir [Garotinho, (sem partido) ]e Frederico [Paes, (MDB) ]é prioridade.

Confira a entrevista completa:

About The Author

2 Comments

Comments are closed.