Vast assina acordos para tancagem de petróleo no Açu

Vast assina acordos para tancagem de petróleo no Açu
  • Publishednovembro 14, 2023

A Vast, antiga Açu Petróleo, anunciou, na segunda-feira (13), a assinatura de quatro memorandos de entendimentos não vinculantes (MoUs, na sigla em inglês) com companhias globais, entre elas a portuguesa Galp e as chinesas Petrochina e CNOOC, para estudos conjuntos de oportunidades de armazenagem de petróleo no Terminal da Vast, localizado no Porto do Açu.

Os acordos firmados entre a Vast e estas operadoras avaliarão o uso da tancagem a ser construída no Açu dentro do escopo do projeto Spot, como forma de tornar mais eficiente a logística de exportação de petróleo no país. Este será o único terminal privado do Brasil a ofertar uma solução para estocar em tanques em terra o petróleo a ser movimentado, como serviço complementar às atuais operações de transbordo abrigado (double banking) realizadas no Terminal da Vast.

100

“Investimentos em infraestrutura serão necessários para apoiar as futuras projeções de produção e exportação de petróleo brasileiro, que tendem a crescer mais de 60% nos próximos anos. Esses acordos são mais um passo na consolidação do Terminal da Vast Infraestrutura como um hub de movimentação e exportação de petróleo e permitirá uma ampliação de sua oferta de serviços como operadora logística de líquidos”, destaca Victor Snabaitis Bomfim, CEO da Vast.

Os memorandos reforçam a relevância do projeto Spot, que será o primeiro parque privado de estocagem de petróleo do país. O projeto prevê a construção de 12 tanques com capacidade total de 5,7 Mbbl e dois oleodutos que conectarão o Terminal da Vast à malha de dutos de petróleo da região Sudeste.

Hoje, a empresa tem um uma ampla carteira de clientes (CNOOC, Equinor, Galp, Petrobras, PetroChina, Petronas, PRIO, Shell e TotalEnergies) que já operam o transbordo de petróleo de forma regular no seu Terminal no Açu. Com mais de 700 operações de transbordo realizadas, a Vast hoje já é responsável pela movimentação de 35% de todas as exportações brasileiras de petróleo, ou cerca de 600kbpd.

O projeto Spot está orçado em aproximadamente R$ 2,5 bilhões e já conta com todo licenciamento necessário para construção, o que inclui as licenças emitidas pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

About The Author