Vitor Mussi, diretor do HGG, orienta a procurar a unidade apenas em casos graves

Vitor Mussi, diretor do HGG, orienta a procurar a unidade apenas em casos graves
  • Publishedoutubro 9, 2023

Diretor do Hospital Geral de Guarus (HGG), Vitor Mussi diz que não há como comparar a situação atual da unidade com o período no qual ele assumiu a direção, em janeiro de 2021: “acho que são dois hospitais distintos. Em entrevista ao Manchete Podcast (veja abaixo) desta segunda-feira (09), comenta que com as obras realizadas em parceria com o Governo do Estado, já não há mais o caso bizarro, como foi classificado por ele, de goteiras na unidade hospitalar. E acredita que é possível, também, que vem melhorando uma “cultura de atendimento desgastada” no HGG. Contudo, ressalta que é preciso conscientizar à população sobre o uso da unidade hospitalar, que só deve ser procurada em casos de alta complexidade.

— Essa demanda livre, de qualquer coisa ir para o HGG, tem atrapalhado um pouco. (…) A procura ao HGG está muito grande de situações que podem ser resolvidas em outros locais. Vai todo mundo para lá. Nós não somos uma sanfona, temos um espaço físico determinado: enche. Não posso sair tirando paciente de lá às pressas para que o próximo que chega tenha onde sentar ou deitar. É exatamente essa consciência, de como usar a ferramenta chamada HGG, que a gente precisa explicar à população. HGG é para se chegar lá com doenças graves — disse Vitor, relatando que em alguns casos pacientes vão ao hospital apenas para conseguir atestado ou outras situações que seriam resolvidas no atendimento das Unidades Pré-Hospitalares (UPHs).

100

Mussi considera positiva a evolução estrutural, mas admite que ainda é preciso alguns avanços. “A gente pegou no meio de uma pandemia, e continua a pandemia lá dentro, sem condições de melhorias e vendo o hospital no caos que estava. Logo a seguir a gente conseguiu a ajuda do Governo do Estado. As obras modificaram completamente o panorama do hospital. (…) Tem muita coisa a melhorar. A gente veio de uma cultura de atendimento lá, realmente, muito desgastada, e a gente está tentando mudar, junto com a obra, essa cultura de atendimento”.

Vitor ainda comentou sobre as dificuldades de realizar a obra com o hospital em pleno funcionamento. E destacou que muitas pessoas Segundo Vitor, em seis meses não haverá mais canteiro de obra, com a conclusão da segunda parte do HGG, assim como o centro de hemodiálise, que funcionará no mesmo terreno. 

Apesar de estar em um cargo político, não pleiteia ser candidato no próximo ano. Falou sobre a relação que tem com vereadores e secretários. E afirmou atender a todos da mesma forma, da base e da oposição, seguindo, inclusive, uma orientação do prefeito Wladimir Garotinho (sem partido). E por falar no prefeito, aposta na reeleição de Wladimir no próximo ano. “A cidade melhorou muito”, disse.

About The Author

2 Comments

  • […] para outro profissional atuar? E ponto assinado com antecedência? O blog destacou recentemente (aqui) uma entrevista de Vitor Mussi, superintendente da unidade, pontuando ao Manchete Podcast que só […]

  • […] para outro profissional atuar? E ponto assinado com antecedência? O blog destacou recentemente (aqui) uma entrevista de Vitor Mussi, superintendente da unidade, pontuando ao Manchete Podcast que só […]

Comments are closed.