Viny Soares estreia no time Manchete e critica a gestão da Cultura em Campos

Viny Soares estreia no time Manchete e critica a gestão da Cultura em Campos
  • Publishedsetembro 11, 2023

Viny Soares agora também integra o time de blogueiros/colunistas do Manchete RJ. O site já está no ar (aqui) e, como ele mesmo contou em entrevista ao Manchete Podcast (confira ao fim do post) desta segunda-feira (11), traz assuntos leves, novidades, mas sem deixar de lado questões polêmicas e a sempre quente política regional. Ex-vice-presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), ex-diretor da Câmara, ele faz críticas à gestão da Cultura no município, além de surpresas na passagem pelo Legislativo.

Ao falar sobre a Cultura, relembra a passagem como vice-presidente da FCJOL. “O governo Rafael teve muitos erros, mas também teve acertos. Não é porque eu estava na chapa, mas a chapa cultural do governo Rafael Diniz foi muito assertiva. Mesmo com toda a escassez de recursos, conseguimos fazer muito pela Cultura. Nossa gestão reabriu o Teatro de Bolso, logo nos primeiros cinco meses do governo, sem nenhum gasto”, contou Vinny, lembrando que participou da coordenação da equipe que trabalhou na reabertura do TB.

100

Em relação à atual gestão na área cultural, faz cobranças pela reabertura do Palácio da Cultura, classificado por ele como “o principal símbolo da cultura de Campos”. Questiona, inclusive, a destinação de emendas parlamentares para o equipamento cultural, relembrando, ainda, que a reforma do espaço foi uma conquista da gestão Diniz, na Justiça, como uma medida compensatória da empresa proprietária da área do prédio histórico Casarão Clube do Chacrinha, demolido indevidamente em 2013. “Vejo no atual governo algumas falhas. Eles falam que não são elitistas, mas estão se mostrando elitistas, principalmente a atual gestora (da FCJOL), que é a professora Auxiliadora Freitas”.

Da passagem pela Comunicação da Câmara, diz que teve surpresas:

— Me surpreendi com muitas coisas, conheci muitas pessoas, me surpreendi com o presidente Marquinho Bacellar. É um cara superinteligente, minucioso, detalhista, muito observador. Com a oposição (ao grupo dos Bacellar) também, porque não posso ser injusto. Da base do prefeito, me surpreendi com o vereador Fred Rangel: conciliador, muito centrado, que demonstra, na minha visão, um jogo de cintura para minimizar conflitos.

Viny avalia que a gestão Wladimir Garotinho (sem partido) tem tido boa aceitação popular, pelo que mostram as pesquisas. Salienta erros e acertos, inclusive assinalando a necessidade de alterações no secretariado. E vê ganhos para o município com o atual quadro político. “Essa oposição com pacificação, com diálogo, dando mecanismos para manter a governabilidade, está sendo muito importante. É algo que a gente não via acontecer em Campos há muito tempo. Como falei, a Câmara sempre foi um puxadinho da Prefeitura. Eu acho que a gente está experimentando um novo formato, que está sendo muito benéfico”.

Confira a íntegra da entrevista:

About The Author