Na romaria a Santo Amaro, fé, política e cobranças do prefeito sobre a LOA

Na romaria a Santo Amaro, fé, política e cobranças do prefeito sobre a LOA
  • Publishedjaneiro 17, 2024

Como tradicionalmente ocorre em 15 de janeiro, a Baixada Campista recebeu milhares de romeiros na segunda-feira, dia do padroeiro Santo Amaro. E, em ano eleitoral, a já tradicional romaria dos políticos também aconteceu, principalmente na missa das 11h, celebrada pelo bispo Dom Roberto Francisco Ferrería Paz — que, inclusive, lembrou que este é um ano eleitoral e recomendou a todos que se empenhem pelo bem comum.  Em um momento de tensão entre o Executivo e o Legislativo campista, sobre a questão da Lei Orçamentária Anual (LOA), a base governista se fez mais presente, acompanhando o prefeito Wladimir Garotinho (PP). Mas a oposição também foi representada, pelos vereadores Bruno Vianna (PSD) e Maicon Cruz (sem partido). Da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), dois representantes: Thiago Rangel (PRTB) e Bruno Dauaire (União), atual secretário estadual de Habitação.

Questionado sobre o principal pedido a Santo Amaro no dia, se seria para sua reeleição ou para destravar a LOA em Campos, Wladimir sorriu, disse que o principal era saúde para todos, mas que também pensava na reeleição. Na sequência, fez duras críticas ao presidente da Câmara, Marquinho Bacellar (SD), comentou sobre a judicialização do caso e classificou o episódio como uma “ditadura da minoria” (confira no vídeo abaixo):

100

Aliado de Wladimir, Bruno Dauaire também comentou sobre a questão da LOA em Campos. Questionado se o episódio de impasse na planície poderia de alguma forma respingar na sua nomeação como secretário estadual, ele descartou. Vale lembrar que Dauaire foi nomeado no período da pacificação entre os clãs Garotinho e Bacellar. Bruno, contudo, afirma que sua relação com o presidente da Alerj, Rodrigo Bacellar (União), continua cordial e que eles são políticos maduros (confira no vídeo).

Entre almoços e abraços, muitos políticos passam o dia em Santo Amaro. Entretanto, é sempre bom destacar, que uma das maiores devoções católicas do Norte Fluminense cresceu pela fé, não pela política. E esse cenário de fé, com missas sempre lotadas, romeiros chegando a todo momento, mais uma vez se repetiu. Com ou sem pacificação, com LOA ou sem LOA, a fé do povo em Santo Amaro é o que faz da festa a grandiosidade que ela é.

Nomes da região — Ex-prefeito de Cardoso Moreira, Renato Jacinto (PSDB) marcou presença mais um ano na festa do padroeiro da Baixada. De São Francisco de Itabapoana, o vereador e pré-candidato a prefeito Renato Roxinho (União) foi outro político visto pela Baixada Campista na missa das 11h, assim como o vice-prefeito e também pré-candidato a prefeito de Quissamã, Marcelo Batista (PP).

Em tempo — O blog fez a cobertura na festa de Santo Amaro na segunda-feira (15). Mas problemas técnicos impediram a publicação imediata. Na terça (16), a cobertura da factual se impôs, mas material coletado na Baixada Campista devia ser disponibilizado, ainda que com atraso. Aos leitores, nossos sinceros pedidos de desculpas.

Foto: Rodrigo Silveira/Folha 1

About The Author